Pedagogía de la Tierra: los sujetos del campo y la Enseñanza Superior

Fernando José Martins

Resumen


Resumen: En el contexto de las políticas y prácticas de la enseñanza superior, de manera general, cada vez más atraídas por la lógica de mercado, se intenta en este artículo dar visibilidad a una experiencia en este nivel de enseñanza, que pretende posicionarse en la contracorriente de aquella lógica: la Pedagogía de la Tierra. Bajo la forma de política pública afirmativa, encarada hacia los sujetos del campo, se construye en Brasil un curso especial con características singulares y propias, que ha llamado la atención de los investigadores y de la sociedad civil. Esta experiencia señala elementos significativos que sustentan la definición de políticas y prácticas de una enseñanza superior vinculada a una perspectiva emancipatoria, orientada específicamente a las clases populares.

Palabras clave: movimientos sociales, participación, universidad.


Texto completo:

PDF HTML

Referencias


Almeida, Benedita, & Antonio, Clésio (2008). O curso de pedagogia para educadores do campo: A experiência da Universidade Estadual do Oeste do Paraná: História e prática. In Clésio A. Antonio, Benedita de Almeida, & José L. Zanella (Orgs.), Educação do campo: Um projeto de formação de educadores em debate (p. 21-37). Cascavel/PR: Edunioeste.

Arelaro, Lisete (2005). A pedagogia da terra: Novos ventos na universidade. In Sónia Kruppa (Org.), Economia solidária e educação de jovens e adultos (pp. 41-45). Brasília: Inep/MEC – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Arroyo, Miguel G., Caldart, Roseli S., & Molina, Mônica C. (Orgs.). (2004). Por uma educação do campo. Petrópolis: Vozes.

Brandão, Carlos R., & Streck, Danilo R. (Orgs.). (2006). Pesquisa participante: O saber da partilha. Aparecida: Idéias & Letras.

Cabrito, Belmiro G. (1994). Formações em alternância: Conceitos e práticas. Lisboa: Educa.

Caldart, Roseli S. (2007). Intencionalidades na formação de educadores do campo: Reflexões desde a experiência do curso «pedagogia da terra da via campesina». Cadernos do ITERRA, 11(VII), p. 9-52.

Caldart, Roseli S. (2002). Pedagogia da terra: Formação de identidade e identidade de formação. Cadernos do ITERRA, 6(2), p. 77-98.

Caldart, Roseli S. (2004). Por uma educação do campo: Traços de uma identidade. In Miguel G. Arroyo, Roseli Caldart, & Mônica Molina (Orgs.), Por uma educação do campo (pp. 147-158). Petrópolis: Vozes.

Engels (Introdução e Notas de Roger Dangeville), Crítica da educação e do ensino (pp.88-92). Lisboa: Moraes Editores.

Freire, Paulo (2000). Pedagogia da esperança: Um reencontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra.

Gramsci, Antônio, Coutinho, Carlos, Nogueira, Marco, & Henriques, Luiz (2006). Os intelectuais, o princípio educativo, jornalismo (Cadernos do cárcere, volume 2). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Manacorda, Mario (1991). Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez.

Marx, Karl (1978). Crítica do programa social-democrata de Gotha. In Karl Marx & Friedrich

Pascueiro, Liliana (2009). Breve contextualização ao tema da democratização do acesso ao ensino superior: A presença de novos públicos em contexto universitário. Educação, Sociedade & Culturas, 28(2), p. 31-52.

Pintassilgo, Joaquim (2003). Construção histórica da noção de democratização do ensino: O contributo do pensamento pedagógico português. In Maria M. Vieira, Joaquim Pintassilgo, & Benedita P. Melo (Orgs.), Democratização escolar: Intenções e apropriações (p. 119-141). Lisboa: Centro de Investigação em Educação.

Pinto, José R. (2004). O acesso à educação superior no Brasil. Educação e Sociedade, 25(88), p. 727-756.

Rabelo, Amaro K. (Org.) (2008). Vivência e práticas pedagógicas: Sistematizando a turma

Ribeiro, Marlene (2008). Pedagogia da alternância na educação rural /do campo: Projetos em disputa. Educação e Pesquisa, 34(1), p. 27-47.

Trindade, Hélgio. (Org.). (1999) Universidade em ruínas: Na república dos professores. Petrópolis: Vozes.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.